Home Facisc avalia 2023 e espera um 2024 desafiador

Facisc avalia 2023 e espera um 2024 desafiador

Para o presidente da Federação, outra bandeira a ser defendida agora é a reforma administrativa

RCN

Última atualização: 2023/12/23 8:50:55

Foto: Marcelo Casal/Agência Brasil

A Facisc encerra o ano de 2023 com uma avaliação positiva. Segundo o presidente Sérgio Rodrigues Alves, que finaliza seu mandato à frente da entidade no dia 31/12, a Facisc galgou passou fortes e alcançou marcas históricas. “Ultrapassamos 40 mil empresas associadas este ano. Um feito que mostra a força do associativismo”, explica. Sérgio explica que muito se deve ao aumento no número de soluções empresariais, no esforço da Facisc em promover o diálogo e a integração do Sistema e a valorização do associado. “ “A FACISC atingiu mais de 40 mil associados, aumentou de 14 para 44 soluções empresariais, realizou mais de 500 eventos, apresentou um crescimento financeiro expressivo e um aumento de 61,09% nos resultados”, detalha Alves.

A gestão do presidente foi inspirada em cinco pilares e todas as atividades planejadas e desenvolvidas para atendê-los. “Concentramos esforços na representatividade e integração, fortalecemos os laços entre a federação e as associações empresariais, e isso se reflete no crescimento que tivemos”.

Entre os projetos e programas realizados pela Federação, o Voz Única, teve um esforço grande do Sistema. Em 2022, Facisc e associações se uniram para fazer um diagnóstico do que SC precisa. “Vivemos na era dos dados e fazer este levantamento mostra que existem pessoas que vivem o problema na cidade. Não são só números. São vivências reais de quem vive naquele local”, detalha. Foram levantados 744 pleitos e todos eles estão retalhados na cartilha, que foi encaminhado a todos os candidatos nas eleições de 2022. A Facisc atua diretamente com os eleitos e que assumiram os cargos para acompanhar como se desenvolvem cada um desses pleitos e agir para que ações possam ser tomadas pelos órgãos competentes no sentido de encontrar uma solução.

Rodrigues Alves destacou ainda o empenho na área de capacitação, promovendo muitos treinamentos aos associados, e o fortalecimento da representatividade da Facisc. “Participamos de grandes temas estaduais e nacionais, sendo reconhecidos por
outras entidades e empresários”, disse ele lembrando das diversas pautas defendidas
pelo empresariado, inclusive junto ao STF, em busca de maior segurança jurídica.
“Encerro meu mandato com o sentimento de dever cumprido e passo o bastão para o presidente eleito Elson Otto, que elogiou o trabalho da diretoria que se despede e
afirmou que dará continuidade ao que vem sendo realizado. O objetivo é fortalecer ainda mais a base associativa”, finalizou.

Posse
A solenidade de posse do novo presidente da Facisc está marcada para o dia 29 de fevereiro de 2024, durante o Encontro FACISC

Na economia, o presidente Sérgio explica que o início do ano foi mais complicado. “Começamos com muita expectativa. Tivemos mudanças tanto aqui no estado quanto no Governo Federal e é normal que tenham primeiros meses de adaptação para depois engrenar”. Em real ação a economia, Sérgio destaca que não houve crescimento econômico este ano.

Outro ponto destacado pelo presidente foi a Reforma Tributária. “Ainda não está terminado mas temos visto que este é o caminho. Precisamos iniciar este movimento para que tenhamos mudanças significativas”.

O presidente destaca que a Facisc participou das grandes discussões. “Incentivos à área econômica, insegurança jurídica, e a reforma Tributária, por exemplo, são temos que atuamos diretamente”. Segundo a expectativa do presidente é que para 2024 essas pautas tenham um fim e possam trazer avanços significativos para a economia brasileira”.

2024

Para Sérgio Rodrigues Alves 2024 vai ser um ano bem desafiador. “Teremos algumas reformas estruturantes importantes para o Brasil, e também para a sociedade, vem Reforma Tributária, e os impactos teremos com essas mudanças”. Para o presidente outra bandeira a ser defendida agora é a reforma administrativa. “Já que fizemos tributária, agora devemos pensar na administrativa”.

Para Santa Catarina, Alves destaca que é notória a participação de um governo do estado muito humano. “Nós temos um estado que se destaca no Brasil, mas temos algumas carências. Por exemplo, na área de infraestrutura, que foi o que nós apontamos muito num trabalho muito forte através do Voz Única e que serve de referência para gestão do Governo.

Em 2024 a gente quer é que haja, sim, uma consolidação de algumas”. O presidente destaca que entre as premissas básicas para continuar o desenvolvimento do estado de Santa Catarina, a infraestrutura é a principal. “Precisamos ter uma boa infraestrutura para fortalecer e ampliar o grande potencial econômico que temos”. Entre as necessidades apontadas pelo presidente estão os portos, ferrovias, recuperação de aeroportos, prioritariamente a malha viária, o nosso eixo económico aqui dentro do estado.

deixe seu comentário

leia também