Home Número de mortes por câncer de pele ultrapassa 260 pessoas em SC

Número de mortes por câncer de pele ultrapassa 260 pessoas em SC

Pessoas de pele clara, com pintas e manchas, estão mais propensas a desenvolverem a doença

Fonte: NSC

Última atualização: 2023/12/07 10:15:16

 

O número de mortes por câncer de pele até o momento em Santa Catarina chegou a 267 pessoas (158 homens e 109 mulheres). O número é mais baixo do que no ano passado, mas requer atenção. Em 2022, 313 pessoas morreram vítimas da doença no estado.

Pessoas de pele clara, com pintas e manchas, idosos, quem se expôs muito ao sol e quem tem histórico de câncer de pele na família estão mais propensos a desenvolver a doença.

Com o verão chegando e consequentemente uma maior exposição ao sol, é preciso redobrar os cuidados com a saúde. O câncer de pele é o tumor de maior incidência no Brasil com cerca de 185 mil novos casos ano, segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca). Neste sentido foi criada a campanha “Dezembro Laranja” pela Sociedade Brasileira de Dermatologia.

A doença é provocada pelo crescimento anormal e descontrolado das células que compõem a pele.

“Quanto mais precocemente eu detectar o câncer da pele, mais simples será o tratamento e com certeza um melhor prognóstico terá o paciente diante desse tratamento. Então por isso é fundamental, como ato de promoção de saúde e de prevenção de saúde, o exame clínico dermatológico ao menos anual. E em populações sob maior risco, pacientes de pele clara, de olhos claros, que tiveram muitas queimaduras solares, que têm muitas pintas enegrecidas, não raro a gente pede que essa frequência, essa periodicidade seja semestral”, explica o médico dermatologista, Gustavo Moreira Amorim que atua no Hospital Santa Teresa, em São Pedro de Alcântara, referência em atendimento dermatológico no estado.

Por isso, é importante estar atento ao próprio corpo e acompanhar o aparecimento ou crescimento de pintas e sinais na pele. O médico explica que a maioria dos casos envolve remoção cirúrgica, com anestesia local e o procedimento é realizado no próprio consultório ou centro cirúrgico ambulatorial.

“Nos casos onde precisamos fazer a intervenção é retirado todo o tumor e mais uma porção de pele normal em volta, para se garantir a maior chance de cura ao final desse tratamento cirúrgico. Existem técnicas mais avançadas, especialmente para os carcinomas de alto risco, que são as cirurgias onde as margens são analisadas durante o tratamento cirúrgico, que é a chamada cirurgia micrográfica. Hoje, felizmente, está disponível no nosso Estado”, complementa.

 

Prevenção

 

► Evitar a exposição excessiva à radiação solar, principalmente entre 10h e 16h e utilizar o filtro solar;
► Usar chapéus, camisetas, óculos escuros e protetores solares;
► Cobrir as áreas expostas com roupas apropriadas, como uma camisa de manga comprida, calças e um chapéu de abas largas;
► Na praia ou na piscina, usar barracas feitas de algodão ou lona, que absorvem 50% da radiação ultravioleta;
► Usar filtros solares diariamente. Reaplicar o produto a cada duas horas ou menos, nas atividades ao ar livre;
► Observar regularmente a própria pele, à procura de pintas ou manchas suspeitas;
► Manter bebês e crianças protegidos do sol.

O Cepon é referência no tratamento oncológico em Santa Catarina (Foto: Divulgação, SES)

deixe seu comentário

leia também