O que você procura?

Home Polícia Científica de SC bate recorde histórico na emissão de carteiras de identidade em 2023

Polícia Científica de SC bate recorde histórico na emissão de carteiras de identidade em 2023

Foram produzidas 619.247 carteiras de identidade em todo o estado catarinense

Fonte: CLICRDC

Última atualização: 2023/12/13 10:27:27

A Polícia Científica de Santa Catarina (PCISC) alcançou um marco significativo ao superar o recorde histórico na emissão de carteiras de identidade em 2023. Segundo a Diretoria de Identificação Civil e Criminal, de janeiro a 8 de dezembro deste ano, foram produzidas 619.247 carteiras de identidade em todo o estado catarinense. Esse resultado ultrapassa a marca anterior de 618.849 documentos emitidos em 2018, quando a instituição teve acesso ao sistema de registros informatizados.

A diretora de Identificação Civil e Criminal, perita Cássia Rosa, comemorou essa conquista expressiva e destacou o sucesso das equipes diante dos desafios enfrentados durante o ano. Além de ser um recorde histórico, o resultado confirma a expansão do serviço em comparação com o ano passado, apresentando um aumento de 16,66% na produção em relação aos 530.457 documentos emitidos em 2022.

“Este é um serviço essencial para garantir a cidadania. Além do trabalho competente desempenhado por gestores, servidores, terceirizados e estagiários, os setores de identificação civil estão em constante evolução. Temos investido nos processos relacionados ao serviço de identificação civil em todas as unidades do Estado”, afirmou Cássia Rosa.

A perita-geral da PCISC, Andressa Boer Fronza, ressaltou a importância do desempenho excepcional das equipes ao longo do ano, especialmente diante das mudanças significativas no sistema de emissão dos documentos. A introdução da carteira de identidade nacional (CIN) em 8 de março deste ano representou um desafio adicional, exigindo mais preparo técnico, teórico e logístico por parte dos servidores

“Santa Catarina foi um dos primeiros estados brasileiros a consolidar a emissão da CIN em todas as regiões e manteve por meses o maior volume de produção, colocando o estado em posição de destaque no processo nacional de identificação civil. O recorde alcançado coroa o trabalho de todos e motiva nossas ações para 2024, oferecendo serviços cada vez mais qualificados e acessíveis à população”, concluiu Andressa Boer Fronza.

deixe seu comentário

leia também